26/05 19h – Abertura do 1º Encontro de Museus do Vale do Paraíba

Abertura com o tema: O lugar do Museu Histórico Pedagógico Don Pedro I e Dona Leopoldina na construção social do Vale do Paraíba.

Palestrante: Rachel Duarte Abdala

Mestre (2003) e Doutora (2013) pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Pós-doutora pela Universidade de São Paulo e Université Paris Descartes (2022). Docente do Curso de História da Universidade de Taubaté. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação (NIEPHE) da Universidade de São Paulo. Coordenadora do subprojeto de História do Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência (PIBID) na Universidade de Taubaté. Coordenadora adjunta e docente permanente do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Humano da UNITAU. Coordena os Projetos de Extensão Universitária: Educação Patrimonial, Solar do Café, A cultura que vale: conhecendo e preservando a história, a memória e o patrimônio do vale do Paraíba. Desenvolve projetos em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Pesquisadora Assistente no Projeto Temático FAPESP: “Saberes e práticas em fronteiras: por uma história transnacional da educação

Local: Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina
Endereço: R. Mal. Deodoro da Fonseca, 260 – Jardim Boa Vista, Pindamonhangaba – SP, 12401-010


Programação completa

Programação 26/05 – 19:00
Abertura O Lugar dos Museus Histórico Pedagógico Don Pedro I e Dona Leopoldina na construção social do Vele do Paraíba.   Professora Rachel Duarte Abdala
Mestre (2003) e Doutora (2013) pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Pós-doutora pela Universidade de São Paulo e Université Paris Descartes (2022). Docente do Curso de História da Universidade de Taubaté. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação (NIEPHE) da Universidade de São Paulo. Coordenadora do subprojeto de História do Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência (PIBID) na Universidade de Taubaté. Coordenadora adjunta e docente permanente do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Humano da UNITAU. Coordena os Projetos de Extensão Universitária: Educação Patrimonial, Solar do Café, A cultura que vale: conhecendo e preservando a história, a memória e o patrimônio do vale do Paraíba. Desenvolve projetos em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Pesquisadora Assistente no Projeto Temático FAPESP: “Saberes e práticas em fronteiras: por uma história transnacional da educação

27/05 – 17:00
Nome da palestra: Workshop Conservação Preventiva para Acervos Museológicos
Resumo: O workshop abordará informações gerais de conservação preventiva para diversos suportes, tais como vidro, madeira, tecido, papel, entre outros, orientando os profissionais na formulação de estratégias que minimizem as ações dos agentes de degradação, de acordo com o contexto e tipo de material de cada acervo preservado no museu.

19:30
Nome da palestra: Educação em museus: entre conceitos e práticas
Resumo: Esta palestra propõe uma reflexão sobre os conceitos e metodologias que perpassam os campos da educação, da história e do patrimônio. Para isto, em perspectiva macro, farei uma discussão sobre as noções de “educação patrimonial”, “educação para o patrimônio” e “educação museal”.  A compreensão desse campo conceitual e das ações realizadas exige uma atenção especial ao contexto mais amplo de mudanças educacionais, às políticas de preservação do patrimônio histórico cultural e ao modo como tais elementos são apropriados pelos sujeitos envolvidos nas atividades educativas realizadas em museus, considerando a singularidade de suas trajetórias  e das próprias instituições. Os objetivos, sobretudo, relacionam-se à defesa do patrimônio e da preservação de registros do passado – a garantia de acesso e sua democratização -, entendidos como direito social, ligado às lutas identitárias e às distintas possibilidades de compreensão dos tempos pretéritos em seus engajamentos com os tempos presentes. E à defesa, é claro, de uma educação em museus capaz de promover estas ideais.
Palestrante: Patrícia Cruz é Bacharel em Museologia pela Universidade Federal de Pelotas (2015). Mestre em Educação pela Universidade de São Paulo (2020). Doutoranda no Programa de de Pós Graduação da Faculdade de Educação da USP (FEUSP) onde pesquisa educação e patrimônio cultural. Participa do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação – NIEPHE da Faculdade de Educação da USP. Possui experiências profissionais principalmente nas áreas de educação patrimonial, gestão de museus, gestão documental e ações de salvaguarda e preservação do patrimônio. Atuou no Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, no Museu e Espaço da Colônia Francesa, no Museu de Antropologia do Vale do Paraíba, entre outras instituições culturais. É conselheira no Conselho do Sistema Estadual de Museus – COSISEM, e atualmente está a frente da Diretoria de Cultura da Fundação Cultural de Jacarehy.

28/05 – 09:00
Nome da Palestra: O Centro de Memória do IFSP como espaço de produção e difusão do conhecimento em Educação Profissional e Tecnológica
Resumo: Esta discussão terá por objetivo apresentar um relato de experiência do Centro de memória do IFSP “Professor Benedito Ananias da Silva”, assim como as ações realizadas pela instituição que visam a promoção e a preservação da memória educacional e do patrimônio educativo.

Palestrantes:
•Fernanda Ferreira Boschini
Mestra em Educação Profissional e Tecnológica, servidora técnico- administrativa do IFSP. Atualmente líder do Núcleo de Pesquisa em História e Memória da Educação Profissional e Tecnológica (NUPHMEPT).

•Fabia Dalla Nora
Arquivista no IFSP. Especialista em Gestão Eletrônica de Documentos. Atuou como Arquivista no IF Sertão Pernambucano e na Força Aérea Brasileira – FAB.

13:30
Nome da palestra: Mediação obra e público: o educador como articulador do processo
Resumo: Os museus e centros culturais se configuram como espaço de fruição entre obra-artista-público, requerendo a mediação de educador(a) no processo de acolhimento, sensibilização e comunicação. Essa conversa propõe a ampliação do conceito de mediação em exposições na educação não-formal a partir da experiência como educador do palestrante.

Palestrante:
Fábio Silva
Mestre em Educação Profissional e Tecnológica, atua como professor do ensino técnico e superior em instituições públicas e privadas. Colabora na produção de materiais educativos, atuando na formação de professores da educação básica e na educação não-formal de museus e centros culturais na cidade de São Paulo desde 2006.

15:00
Mesa de Discussões aos Museus e alunos inscritos com Medição Matheus Baltazar.  
Resumo: Apresentação de projetos inscritos por alunos e instituições da Região.

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

28/08 18h – Tempos sombrios: a democracia em pauta

Seminário interdisciplinar
Tema: TEMPOS SOMBRIOS: a democracia em pauta

Com Rafael Gaspar Hoffmann – Faculdade Santo Antônio
Guilhermo Codazzi da Costa – Jornal OVale
Rachel Duarte Abdala – Universidade de Taubaté
Francisco Estefogo – Universidade de Taubaté

Tenho Interesse







    Skip to content